A medição da frequência cardíaca é uma das técnicas mais usadas

Cadência vs Frequência Cardíaca

Para quem pratica a corrida é importante que haja o controle dos treinamentos. Se você está começando agora com exercício (ou ainda não controla os treinos) e não sabe como fazer isso adequadamente, vamos dar uma olhada nos dois métodos mais utilizados para esse fim, pois esse controle pode auxiliar a alcançar seus objetivos de maneira segura e rápida.

Alguns corredores de rua tendem a utilizar a cadência (velocidade expressa em km/min) de sua corrida para conseguir controlar a intensidade de seus treinamentos. Outros se utilizam da frequência cardíaca (medida com o auxílio de um frequencímetro), trabalhando nas zonas alvo, para esse objetivo. E então você se pergunta: mas qual das duas é a melhor forma de controlar meus treinamentos de corrida? A questão é que ambas as formas têm seu lado positivo e seu ado negativo.

1# Cadência

Positivo: a cadência pode auxiliar muito sua corrida, pois controla exatamente o desempenho prático durante o treino. Isso tem a vantagem de permitir sua orientação pela performance (qual distância correu em quanto tempo) independente se está se sentindo bem ou não naquele dia. Dessa forma, você mantém seu treinamento dentro do planejado naquele período.

Negativo: por outro lado, isso pode dar ares de impossibilidade para o treinamento. Todos nós sabemos que é diferente correr na chuva, na ladeira, na terra, no asfalto, na areia e etc. Então a orientação pela cadência torna esses percursos mais desafiadores, gerando uma exigência muitas vezes improdutiva.

Essa técnica é muito utilizada, pois ajuda a alcançar um resultado de maneira muito clara e objetiva. Por exemplo, para completar uma prova de 10km em menos de 1 hora temos que correr a uma velocidade maior do que 10km/h. Com a cadência basta calcular os valores e ir para a rua.

2# Frequência cardíaca

Positivo: calcula a diferença fisiológica de cada organismo. O esforço que você realiza para correr a 15km/h é diferente do esforço despendido por outra pessoa para correr na mesma velocidade. Levar isso em consideração vai lhe auxiliar na hora de planejar o treinamento.

Negativo: a frequência cardíaca comumente a sofre alterações relacionadas ao estresse. Então em um dia mais desgastante sua frequência tende a subir um pouco (5-10bpm), o que pode atrapalhar na hora de organizar o treinamento se você não levar isso em consideração. Mas é possível trabalhar tranquilamente com essa alteração se você utilizar a margem de variação no planejamento. (Se você quer saber como usar a frequência cardíaca no seu planejamento de corrida leia esse texto.)

Apesar das diferenças entre as técnicas, o mais importante é controlar e planejar seus treinamentos para que ele seja realizado de maneira adequada.

publicidade