Stu Ungar

Stu Ungar, o maior jogador de poker da história | Clássicos ELH #019

Pedro Nogueira
Pedro Nogueira Editor-Chefe

Publicado originalmente em OUTUBRO/2012; veja aqui mais artigos da série “Clássicos ELH”, uma coletânea de textos atemporais em comemoração ao aniversário de 10 anos do El Hombre.

***

Stu “The Kid” Ungar é uma lenda do poker. Entre 1980 e 1997, ele ganhou três vezes o Main Event da World Series of Poker (WSOP), cujo vencedor é considerado o campeão mundial de poker – recorde não igualado até hoje. No ano seguinte, então aos 45 anos, Stu morreria do coração, resultado de uma vida de abusos com bebida e drogas. Ele estava falido, sozinho, num quarto de um motel barato em Las Vegas.

Sua vida conturbada, marcada pelos excessos, é o tema do filme High Roller: The Stu Ungar Story (2003). O jogador é interpretado por Michael Imperioli, uma das estrelas do seriado Família Soprano.

O filme começa com Stuey, como os amigos o chamavam, sentado na cama de um quarto mal iluminado. Ao lado da janela, há um homem misteriosos fumando charuto. Stu não sabe como ele entrou ali e, evidentemente, está incomodado com a sua presença. O homem tem uma atitude calma e, ao mesmo tempo, inquisidora. “Me conte uma história sobre você”, ele diz a Stu. “Assim, talvez você descubra por que eu estou aqui. Se descobrir, vou embora.”

Em tom de confissão, então, Stuey começa a narrar a história da sua vida. Já na infância, ele era um jogador prodígio de gin rummy, que lembra uma mistura de caxeta com buraco. Com o tempo, tornaria-se um dos melhores jogadores de Nova York. Mas Stu perdia todo o dinheiro que ganhava nas cartas apostando nas corridas de cavalo. Por causa da dívidas, ele acabou deixando Nova York e foi para Las Vegas em 1977.

Três anos depois, em 1980, Stu disputou a WSOP pela primeira vez – e ganhou o torneio logo na estreia. Seu prêmio foi de 365 mil dólares, o equivalente a mais de US$ 1,1 milhão em valores atuais. No ano seguinte, defendeu o título com sucesso, faturando mais 375 mil dólares. Em 1982 casou-se com uma namorada antiga de Nova York e teve uma filha. (Na vida real, elas se chamam Madeline e Stefanie, respectivamente. No filme, porém, seus nomes são Angela e Nicole.) Mas, com o tempo, Stu ficou cada vez mais envolvido com bebidas, drogas e as apostas em corridas de cavalo. Em 1986, sua mulher o deixou, levando junto a filha deles.

O filme, então, pula de 1986 para 1997, ano do retorno de Stu ao topo do poker mundial, após um (longo) período de decadência. Quebrado, ele não tinha os 10 mil dólares necessários para se inscrever na WSOP. Um amigo jogador patrocinou a sua inscrição, ficando combinado que a premiação seria dividida entre ambos. E assim Stu sagrou-se campeão mundial mais uma vez, levando o prêmio de 1 milhão de dólares. Mas, em poucos meses, Stu gastaria tudo, especialmente com drogas e apostas esportivas.

No dia 20 de novembro de 1998, Stuey fez o check-in para o quarto número 6 do Oasis Motel, em Vegas. É ali que se passa a conversa entra Stu e o estranho no filme – que, aparentemente, representa a própria morte. Stu foi achado, dia 22 de novembro, morto no quarto do Oasis.

High Roller não foi bem avaliado pelos críticos de cinema – e com alguma razão. A produção, realmente, é fraca. Mas é um filme imperdível, deve-se notar, para quem gosta de poker. Afinal, conta a história daquele que é considerado o maior jogador da história, Stu “The Kid” Ungar.