Como entender a tabela nutricional dos alimentos

A alimentação, como tudo na vida, pede equilíbrio. Existem quantidades ideais de nutrientes que devemos ingerir regularmente para o bom funcionamento do organismo — e esse número varia de pessoa para pessoa. Mas como saber quais são eles?

Como os valores alteram para cada indivíduo, o certo é consultar um nutricionista que irá calcular os seus números ideais considerando o seu sexo, peso, estatura, estilo de vida e outros fatores. Contudo, existem valores calculados com base em um adulto saudável e de proporções médias que são chamados de Valores Diários de Referência de Nutrientes (VDR).

Segundo a ANVISA eles são:

TABELA 2

Isso significa que, em média, uma dieta saudável pede a ingestão desses nutrientes nessas quantidades diariamente. A ANVISA declara que é obrigatório que as empresas informem, no rótulo dos produtos, quanto que seus alimentos oferecem dessas substâncias.

Outra tabela importante – mas não obrigatória – é a de Ingestão Diária Recomendada de Nutrientes (IDR). Enquanto a lista acima se refere aos macronutrientes, essa abaixo se reporta aos micronutrientes (vitaminas e minerais):

TABELA-1

Agora, como saber se o que você consome durante o dia supre essas necessidades?

Com certeza você já observou, nas embalagens dos alimentos, uma tabela intitulada “informação nutricional”. É justamente ela que vai te ajudar a fazer as contas para equilibrar a alimentação. Ali existem duas colunas que levam o nome de: “quantidade por porção” e “%VD”. A primeira vai informar quanto que cada porção carrega de cada nutriente, sendo que, antes disso, a tabela avisa quanto do produto corresponde uma porção. A segunda vai dizer qual a porcentagem que tal quantidade dos nutrientes corresponde levando em conta o VDR.

Para figurar vamos colocar parte da tabela de um cereal que eu tenho em mãos:

TABELA 3

Por mais que essa tabela possa parecer assustadora, ela é extremamente simples. A informação mostra que, se você comer uma xícara desse alimento, terá ingerido, por exemplo, 25% da quantidade de Vitamina B12 que necessita durante um dia. Ou seja, até ir para cama, terá que providenciar os outros 75% do nutriente (ou 1,8 µg) para suprir a quantidade ideal dessa substância para um adulto médio.

Moleza, vai?

Portanto, de consciência acordada não há mais desculpas para você escorregar no equilíbrio dos nutrientes diários. Vai dar trabalho? Vai. Mas menos do que as visitas ao médico que você terá que fazer por conta de uma alimentação desregrada.

Legenda

Este tipo de tabela é bastante útil para reorganizar a sua alimentação