Como encontrar realização no trabalho?

Todos nós queremos encontrar um trabalho que, além de promover o nosso sustento, também nos preencha e realiza, numa carreira que ressaltasse os nossos talentos e nos tornem felizes. E como definir este tipo de trabalho? Trata-se muitas vezes de algo que nos providencie um sentido de propósito e que espelhe os nossos valores, os nossos interesses e as nossas personalidades.

A fim de garantir uma “carreira ideal” – ou seja, aquela na qual você ganhará dinheiro o suficiente para garantir a sua subsistência e uma certa dose de confortos adicionais, sentindo também que faz alguma diferença para o mundo e que está empregando os seus talentos e seguindo os seus interesses –, você deverá realizar uma mudança em seu mindset e em seus hábitos. E estamos aqui para ajudá-lo com isso!

Reconheça que nada externo será capaz de preenchê-lo

Em última instância, a sua satisfação depende em grande parte de seu estado de espírito. Determinadas mudanças externas possuem um efeito positivo em nossas vidas, porém a mudança realmente significativa é aquela que ocorre dentro de nós.

Não é incomum que pensemos que um salário maior, colegas mais amistosos ou projetos mais estimulantes farão com que nos sintamos mais realizados em nossas profissões. 

No entanto, as coisas nem sempre são assim. As circunstâncias externas possuem alguma influência, mas não são a única coisa a ser levada em consideração. Se colocarmos todas as nossas expectativas nelas, acabaremos nos sentindo frustrados.

“O que realmente nos assusta e desanima não são os acontecimentos externos em si, mas a maneira como pensamos a respeito deles”, afirma Epicteto, o talentoso filósofo estoico. “Não são as coisas que nos perturbam, mas a forma como interpretamos seu significado”.

Isso significa que, embora não possamos escolher sempre as circunstâncias externas das nossas vidas, podemos muito bem escolher a maneira como reagimos a elas.

Não seja um empecilho a si mesmo

Muitas vezes, o maior empecilho para a nossa felicidade somos nós mesmos. Todos temos um enorme potencial, que por vezes reprimimos porque acreditamos não ser bons o suficiente, inteligentes o suficiente, competentes o suficiente.

Não permita que a sua insegurança tire o melhor de você. Lembre-se que a confiança, a liderança e a eficiência são qualidades que podemos ensinar a nós mesmos.

Para sermos confiantes e nos sentirmos dispostos a oferecer sempre o nosso melhor, sem temermos a reação alheia, precisamos de coragem, integridade, imaginação e um coração resiliente. Desenvolva tais características em você.

Jamais deixe de estabelecer metas

A fim de nos desenvolvermos de maneira contínua e ininterrupta, é essencial que estabeleçamos metas capazes de refletir os nossos principais propósitos e objetivos.

Portanto, estabeleça metas à curto prazo, metas à longo prazo e, o que é essencial, metas cotidianas, seguindo o modelo que ensinamos aqui no site.

Isso fará com que você trabalhe de acordo com as suas prioridades, exercitando de modo efetivo a sua capacidade de concentração e evitando se distrair com questões de menor interesse.

Tome a iniciativa e aproveite as oportunidades

Quando investimos uma alta dose de energia emocional em um projeto, é mais provável que retiremos deste sentimentos de satisfação. Não seja passivo. Não espere que as coisas venham até você. Nos dias em que vivemos, é essencial adotarmos uma atitude pró-ativa. 

Se unirmos a determinação, a força de caráter e a capacidade de aceitar as oportunidades no momento em que estas se apresentam a nós, teremos muito mais chance de forjarmos o destino que desejamos.

Em Villette, um de seus melhores romances, a escrita britânica Charlotte Brontë descreve um dos personagens como um homem “favorecido pela sorte” e “imensamente bem-sucedido“. Em seguida ela explica: “E por quê? Porque sempre teve o olhar para discernir a oportunidade, o coração para induzir o momento conveniente, e o sangue-frio para consumar o mais primoroso dos trabalhos.”

Bastou para convencê-lo que, em grande parte, a nossa sorte é algo que depende de nós?

Esteja sempre pronto para aprender coisas novas

Mantenha uma curiosidade apaixonada, siga seus interesses e jamais deixe de aprender. No momento em que nos sentirmos demasiadamente confortáveis e estáticos, estaremos renunciando a algo precioso: a nossa capacidade de sair de nossas zonas de conforto e de adquirir novos conhecimentos.

Jamais permita que tal coisa aconteça com você. Siga o exemplo dos grandes homens e das grandes mulheres que trilharam, com sucesso, os seus caminhos antes de você. Para citar alguém, falemos de Machado de Assis, o grande escritor brasileiro. O seu amor ao estudo e a sua insaciável curiosidade intelectual eram tão grandes que, aproximando-se de seus setenta anos, começou a aprender grego.

Mantenha bons relacionamentos com seus colegas

O relacionamento que mantivermos com os nossos colegas irá influenciar o nosso humor, a nossa disposição e a nossa satisfação. É essencial fazermos o possível para conviver com aqueles que admiramos, com aqueles cuja influência faz com que queiramos nos esforçar mais, que possuem uma alta dose de confiança e de determinação, e cuja ética de trabalho gostaríamos de ter.

Você se sentirá mais satisfeito se mantiver um relacionamento agradável com as pessoas que o cercam em seu ambiente de trabalho. Ouça-as. Demonstre um interesse genuíno e uma apreciação legítima por elas.

Não se preocupe demais com o reconhecimento externo

As pessoas sempre encontrarão motivos para criticar as suas escolhas e opções. Portanto, não guie a sua vida de acordo com as opiniões delas. Da mesma maneira, não se preocupe com a obtenção excessiva de prestígio e de fortuna.

Nas palavras de Paul Graham, “o prestígio é a opinião do restante do mundo, e é perigoso em especial àqueles que são excessivamente ambiciosos. Se quiser fazer com que alguém ambicioso desperdice o seu tempo com coisas inúteis, use a isca do prestígio”. 

Cultive o equilíbrio

A fim de prosperarmos profissional e pessoalmente, devemos conciliar e integrar nossas vidas profissionais e pessoais.

Divida o seu tempo – e essa divisão deve ser feita de maneira diferente de acordo com as suas prioridades de vida – entre a sua profissão, as pessoas que você ama e você mesmo. Nunca deixe de reservar algum tempo a si mesmo.

Ao fazê-lo, você terá uma relação mais prazerosa com o trabalho e com as pessoas ao seu redor.

VÍDEO EM DESTAQUE