Fordlândia: a cidade da Ford abandonada na Amazônia

Já se passaram alguns dias desde o anúncio que deixou todos chocados: a Ford está encerrando sua produção no Brasil. A notícia ressuscitou uma incrível história da década de 1920, quando Henry Ford criou literalmente uma cidade na Amazônia, que ficou conhecida como Fordlândia. Depois de alguns anos, o projeto foi abandonado, deixando uma espécie de cidade-fantasma para trás.

O INÍCIO DE UM SONHO

Nos anos 1920, a produção de borracha era um problema para o setor de automóveis dos EUA. Como a Ford controlava praticamente todas as matérias-primas utilizadas para fabricar seus automóveis, exceto pela borracha, Henry Ford teve a ideia de lançar uma expedição para a Amazônia.

Ao se deparar com nossas riquezas naturais, fez um acordo com o governo brasileiro, no qual cultivaria borracha no país, em troca de oferecer empregos para milhares de famílias. Foi assim que nasceu a Fordlândia, às margens do Rio Tapajós, no Pará. Mais de 5 mil funcionários da Ford vieram dos EUA ao Brasil para construir uma cidade operária no meio da floresta. Somaram-se a eles outros 5 mil trabalhadores brasileiros, com suas respectivas famílias.

O FRACASSO DA FORDLÂNDIA

Apesar do gigantesco esforço para tudo dar certo, a Fordlândia enfrentou problemas desde o início. Um deles foi que Henry Ford queria impor “valores puritanos”, típicos das pequenas cidades americanas, aos brasileiros. A ideia não foi bem recebida. Além disso, os americanos também não conseguiram se adaptar ao clima da Amazônia.

O isolamento geográfica da cidade, aliado às condições ambientais adversas, foi outro problema, que acabou resultando em muitas mortes. E houve ainda uma infestação de pragas nas seringueiras. Moral da história? Em 1945 a Ford decidiu encerrar de vez o projeto, devolvendo as terras ao governo brasileiro.

FOTOS DA FORDLÂNDIA

Há muitos registros das ruínas da Fordlândia, que permanecem lá até hoje. Confira uma galeria a seguir: