6 malefícios de uma noite mal dormida

Thiago Sievers
Thiago Sievers Head de Vídeos

São inúmeros os motivos que tiram nosso sono. Tem gente que não dorme por conta das preocupações do dia a dia; há aqueles que optam pela noitada em detrimento do descanso físico; existe quem não consiga pregar os olhos quando divide o colchão com outra pessoa; e, claro, não podemos esquecer dos indivíduos que viram a madrugada trabalhando.

Mas o resultado é sempre o mesmo: baixo rendimento no dia seguinte. Isso quando as consequências não nos deixam aptos a conseguir um bico em algum episódio de The Walking Dead.

É inegável que uma noite mal dormida é maléfica à saúde – mas talvez os malefícios sejam ainda maiores do que imaginamos.

Então vamos citar alguns pontos negativos da falta de sono para termos a certeza (ou nos lembrarmos) de que uma noite bem dormida deve ser prioridade em nossas vidas.

1# Alteração de humor

Antes de acusar a TPM pelo grito que tomou na orelha da companheira, verifique se ela dormiu direito. Não é só a falta de sexo que acarreta em mal-humor – a falta de sono também, e isso não é surpresa para ninguém.

O neurologista e epecialista do sono Dr. Shigueo Tonekura esclarece no site do Instituto do Sono:

“Quando uma pessoa se priva do sono, tem insônia ou acorda várias vezes à noite, seu corpo descarrega noradrenalina, que mexe com todo o resto. Aumenta a frequência cardíaca e a respiração. O organismo fica alerta quando deveria descansar. Esse desgaste afeta o humor, causa irritação”.

2# Deficit de atenção, memória e raciocínio

Diversos estudos já falaram sobre a importância de um bom sono para manter o funcionamento intelectual em condições ideais. As pesquisas relacionando noites bem dormidas e desempenho escolar são incontáveis. No entanto, sabemos que a falta de atenção e memória falha podem estender seus prejuízos para muito além dos muros escolares.

“Quem dorme mal, pode mostrar-se mais irritado e com menor capacidade de concentração durante o dia, o que vai incidir diretamente na memória”, é o que diz a neuropsicóloga Camila Prade, do Centro de Reabilitação do Hospital Albert Einstein.

3# Baixo rendimento imunológico

Um experimento apoiado pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) realizou uma experiência com 30 adultos para verificar quais os efeitos da falta de sono no sistema imunológico. Verificou-se uma elevação no número de leucócitos dos indivíduos que participavam do grupo que tiveram o sono privado, revelando uma queda imunológica.

A principal autora do estudo Francieli Ruiz da Silva disse à Fundação:

“Considerando que os leucócitos desempenham a função de defesa ao primeiro sinal de invasão por patógenos, observamos que a privação total do sono desencadeou um sinal de alerta no organismo. Ele entendeu como um agressão e respondeu a um fantasma”.

4# Obesidade e diabetes

Um estudo realizado em 2012 por pesquisadores da Harvard Medical School e do Brigham and Women’s Hospital observou que a “interrupção prolongada do sono e do ciclo circardiano alterou o metabolismo dos indivíduos e pode aumentar o risco de obesidade e diabetes”.

Uma revisão de estudos mostrou que o motivo disso pode ser a relação entre grelina (hormônio que estimula a fome) e leptina (hormônio que controla a fome) ao sono – sendo que a razão entre primeira e segunda aumenta com a ausência do descanso físico.

5# Hipertensão e doença do coração

A falta de uma noite bem dormida pode ser mesmo perigoso. Uma reportagem da Veja revelou uma publicação do revista Sleep assustadora: quem dorme mal tem cinco vezes mais probabilidade de desenvolver um quadro de pressão alta do que uma pessoa sem problema para dormir.

O que explica isso é o fato de que o cortisol, a adrenalina e a noradrenalina, hormônios liberados quando o sono é inadequado, contraem os vasos sanguíneos, efeito que promove a pressão arterial. Além disso, as “noites mal dormidas podem alterar os impulsos elétricos que regulam os batimentos do coração”.

6# Prejudica o sexo

Pode ser que, até aqui, você estivesse rolando o scroll do mouse rapidamente para chegar logo ao fim da matéria – mas ao ler esse item eu aposto meu mindinho que parou tudo e arregalou os olhos.

Pois é, senhores, sua saúde sexual também está em jogo com noites mal dormidas.

Segundo a professora do Departamento de Psicobiologia e integrante do Instituto do Sono Monica Andersen, em entrevista à Agencia FAPESP:

“Uma das conclusões [de um estudo liderado por ela] é que quem dorme mal tem risco três vezes maior de apresentar disfunção erétil. Uma das causas é que a privação de sono reduz a testosterona, o hormônio sexual masculino”.

Se você quer fugir de qualquer um desses problemas (ou se se assustou mesmo foi com a probabilidade da impotência), o site do Instituto do Sono oferece 10 dicas que te ajudarão a dormir como após um bom coito.

  • Ter horários regulares para dormir e despertar
  • Ir para a cama somente na hora de dormir
  • Ter um ambiente de dormir adequado: limpo, escuro, sem ruídos e confortável
  • Não fazer uso de álcool ou café, determinados chás e refrigerantes próximo ao horário de dormir
  • Não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica
  • Se tiver dormido pouco nas noites anteriores, evite dormir durante o dia
  • Jantar moderadamente em horário regular e adequado
  • Não levar problemas para a cama
  • Realizar atividades repousantes e relaxantes preparatórias para o sono
  • Ser ativo física e mentalmente